Principais patologias


Pseudoartrose escafóide


O escafóide é o osso mais comumente fraturado do carpo, correspondendo de 60 a 70% destas fraturas. Esta fratura frequentemente passa desapercebida na fase aguda devido a vários fatores,  ocasionando a não consolidação da fratura ou pseudoartrose do escafóide.

Devido  à movimentação anormal decorrente da pseudoartrose do escafóide,  ocorrem artrose e instabilidade, chegando a um colapso carpal, conhecido na língua inglesa por “scaphoid non-union advanced colapse” (SNAC). Nos casos em que a pseudoartrose acomete o pólo proximal do escafóide, há um elevado risco de necrose do pólo proximal devido à diminuição da vascularização, a qual é retrógrada e oriunda dos ramos da artéria radial.

O principal sintoma da pseudoartrose do escafóide é dor e quando há artrose ocorre também redução da amplitude articular.

O tratamento da pseudoartrose do escafóide é cirúrgico. Nos casos em que não há artrose ou SNAC, realiza-se a cirurgia com retirada da área de pseudoartrose, avivamento e cruentação das bordas ósseas com colocação enxerto ósseo e fixação. O enxerto ósseo pode ser retirado de vários locais: crista ilíaca, olecrano, rádio distal vascularizado, etc. de acordo com a preferência do cirurgião e  a presença ou não da necrose avascular, situação esta em que é mais indicada a colocação de enxerto ósseo vascularizado do rádio distal. Nos casos em que há artrose ou SNAC, as cirurgias indicadas são carpectomia proximal ou artrodese do carpo parcial ou total, conforme demanda do paciente, o grau de artrose e experiência do cirurgião.